aaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Varejo brasileiro cresce 0,7% em fevereiro, diz ICVA

O varejo ampliado, que inclui os segmentos de materiais de construção e veículos, apresentou alta de 0,7% em fevereiro na comparação com o mesmo período de 2017. De acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) divulgado nesta quinta-feira, o indicador também registrou alta de 2,1% na comparação com o ano anterior, em termos nominais, quando o número reflete, de fato, o que o varejista observa na receita das suas vendas.

Na comparação mensal, a pesquisa diz que houve prejuízo por causa do calendário deste ano. O último carnaval foi celebrado na primeira quinzena de fevereiro. Em 2017, foi comemorado na última. Consequentemente, a quarta-feira de cinzas, data tipicamente fraca em vendas, ocorreu no mês passado, enquanto em 2017 a data ocorreu  em março.

Ainda assim, ajustados aos impactos de calendário, o índice apontaria alta de 1,5%, o que representa uma desaceleração em relação ao observado no mês de janeiro (1,9%). Já pelo ICVA nominal, com os ajustes de calendário, o indicador apresenta alta de 3,0% em comparação com o mesmo período de 2017. “Em fevereiro tivemos uma desaceleração em relação a janeiro, mas ainda com alta na comparação com fevereiro do ano passado”, afirma o diretor de Inteligência da Cielo, Gabriel Mariotto.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o resultado de janeiro nesta semana com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), considerada a fonte oficial do setor. No primeiro mês, de acordo com o órgão, o varejo ampliado teve aumento de 6,5% no faturamento.

Segmentos

O resultado do crescimento do mês, no comparativo anual, foi puxado pelo desempenho do bloco de segmentos de bens não duráveis, enquanto que os blocos de serviços e bens duráveis e semiduráveis apresentaram retração.

Os destaques positivos foram o segmento de supermercados e hipermercados, um dos mais importantes para o varejo, seguido por livrarias e papelarias. A retração de maior relevância no mesmo período de análise ficou novamente por conta dos postos de gasolina, dando sequência aos resultados verificados nos últimos meses.

No comparativo mensal, entre janeiro e fevereiro de 2018, os setores que mais puxaram o resultado de desaceleração foram o de vestuário e de turismo e transporte.

Regiões

Pelo ICVA deflacionado, sem ajustes de calendário, comparando com o mesmo período do ano anterior, o varejo ampliado na região Norte apresentou alta de 4,8%, seguido pelas regiões Sul e Nordeste com, respectivamente, 3,3% e 2,8%. Por fim, aparecem as regiões Centro-Oeste, com alta de 0,1%, e Sudeste, com retração de 0,5%

(fonte: Portal No Varejo)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *