20160808072724905872u

Queijos artesanais apurados disputam novos mercados

nvestimentos para melhorar a qualidade do queijo artesanal de Minas Gerais, um dos produtos mais tradicionais do estado, somados à profissionalização e à organização da atividade dão novo estímulo aos produtores das regiões Central e Centro-Oeste do estado. O foco no município do Serro, que dá nome a famosa iguaria conhecida desde a época da Coroa portuguesa, é qualificar o processo de maturação em parceria com universidades. A mobilização para intensificar as vendas consiste em nova batalha também para os produtores do queijo canastra, na região da serra homônima.

Para agregar valor ao produto e conquistar espaço maior num mercado de consumo hoje combalido pela recessão, os produtores do queijo artesanal mineiro se esforçam para regularizar as queijarias e, para isso, procuram romper barreiras impostas pela burocracia. Estratégias como essas nas áreas rurais grandes produtoras de Minas, a despeito das dificuldades de lidar com o desaquecimento da economia neste ano, são o tema da segunda matéria da série “Driblando a crise”, que o Estado de Minas publica semanalmente desde o dia 1º.

A Secretaria de Estado da Agricultura informa que há sete microrregiões reconhecidas oficialmente como produtoras tradicionais do queijo artesanal de Minas, abrangendo 74 municípios: Araxá, Campo das Vertentes, Canastra, Cerrado, Serra do Salitre, Serro e Triângulo Mineiro. “Estamos profissionalizando a atividade e melhorando a qualidade. Com isso, alcançamos melhor preço no mercado e aumentamos as vendas”, afirma Túlio Madureira da Silva, secretário da Associação dos Produtores de Queijo Artesanal do Serro (Apaqs). De acordo com dados da entidade, a região congrega 700 produtores em 11 municípios, que, juntos, têm produção anual de 3,65 mil toneladas – são 10 toneladas por dia – do famoso queijo artesanal.
Uma das estratégias traçadas pelos produtores do Serro para agregar valor à mercadoria é aumentar o tempo de maturação do produto, etapa que corresponderia ao envelhecimento de bebidas, a exemplo do vinho. Ou seja: quanto maior for o tempo de maturação, melhor será o paladar do alimento.

(EM)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *