office-620817_960_720 (1)

Pequenas e médias empresas devem ser contempladas

Conhecido como um banco de financiamento de grandes obras estruturantes, o BNDES, agora, volta suas atenções para novos pilares da economia: inovação, sustentabilidade, micro e pequenas empresas (MPEs), desenvolvimento regional e mercado de capitais. Porém, o presidente do banco, Paulo Rabello de Castro, fez questão de ressaltar que a instituição não abandonará a vocação para financiar projetos de infraestrutura e grandes investimentos.

“O BNDES sempre foi reconhecido como um banco de infraestrutura, com grandes obras financiadas e de grandes indústrias. Não vamos abandonar isso, mas iremos reforçar a ênfase no desenvolvimento regional, nas micro, pequenas e médias empresas, na inovação, na sustentabilidade e no mercado de capitais”, frisou Castro.

O presidente do BNDES explicou que o banco está “com o olhar atento sobre Minas” porque o Estado não tem aportes e financiamentos na mesma proporção do seu Produto Interno Bruto (PIB). “Minas tem que sair da toca. Por isso vamos colocar uma unidade regional na Capital para atender empresários, prefeitos e governo mais de perto”, acrescentou.

Um dos pontos que pode ser trabalhado em Minas e que, para Castro, vem ao encontro dos pilares estratégicos da sustentabilidade e pequenas e médias empresas é o financiamento para pequenas mineradoras no que se refere à minimização dos impactos da atividade no meio ambiente. “Financiar o trabalho de pequenas mineradoras, através da compra de equipamentos mais novos, por exemplo, atacaria os pilares do foco em sustentabilidade e atender pequenas e médias empresas”, exemplificou.

Além disso, Castro citou a linha de crédito BNDES Giro. “Vamos reforçar essa linha com a modernização do cartão BNDES, que provavelmente funcionará sem o agente financeiro, ainda hoje necessário. Será uma linha direta. Ela não está aberta, mas faremos isso dentro de um mês”, disse.

Outra linha que pretende fomentar o desenvolvimento regional, esta já aberta, é a que oferece financiamentos de R$ 1 milhão a R$ 2 milhões para municípios de pequeno porte. Na avaliação do presidente do BNDES, os empréstimos neste âmbito podem fazer grande diferença para uma série de questões, como melhorar a iluminação pública, obras de saneamento e esgotamento sanitário, de disposição de resíduos sólidos, gestão tributária municipal, equipamentos turísticos e titulação fundiária.

“Estas linhas de crédito estão todas disponíveis neste novo programa para pequenos municípios. Voltaremos a Minas para apresentar, provavelmente à AMM (Associação Mineira de Municípios), essas novas linhas e conversar com micro e pequenos empresários”, revelou Castro.

Plano Estratégico – O BNDES está em fase de aprovação do seu Plano Estratégico 2035. De acordo com o presidente da instituição, a ideia é aproveitar a expertise da equipe do banco em análise e prospecção de cenários futuros para produzir um planejamento que pode dar base para discussões em várias camadas sociais.

(fonte: Diário do Comércio)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *