Cliente de classe média e alta é maioria em atacarejos

Lojistas esperam vender de 5% a 20% nos Dia dos Namorados

A turbulência política não será suficiente para esfriar o clima do Dia dos Namorados, comemorado em 12 de junho. Pelo menos essa é a expectativa de lojistas de Belo Horizonte, que aguardam vendas iguais ou maiores – entre 5% e 20% – do que no ano passado. E há opções de presentes para todos os gostos e bolsos, sejam os mais tradicionais, como joias e flores, ou os tecnológicos, como celulares e seus acessórios.

O proprietário do site Loja do Sapo, especializado em iPhone e acessórios de celular, Douglas Coelho Moreira Sabino, relata que o Dia dos Namorados tem grande impacto para o segmento, sendo melhor até que o Dia das Mães. A expectativa dele é que as vendas, só pela internet, tenham incremento de até 15%. Os preços dos celulares variam de R$ 1.400 a R$ 3.900, e o modelo mais vendido custa R$ 2.500. Como promoção, o site sorteará, via redes sociais, um ensaio fotográfico do casal e uma caixinha de som.

Coelho acredita que a crise política, com denúncias contra o presidente Michel Temer (PMDB), não trará consequências para o Dia dos Namorados. “O produto sofre com a alta do dólar, mas nossas compras já foram feitas para o Dia dos Namorados e vou segurar o preço”, afirma.

Gerente da loja de acessórios para telefones móveis Lig Celular, no BH Shopping, Pedro Alberto de Figueiredo Filho também está animado com o Dia dos Namorados. A expectativa dele é de aumento de 15% a 20% nas vendas. Os produtos mais procurados são caixas de som, películas, fones para correr e fones com entrada dupla. Os preços vão, em média, de R$ 200 a R$ 400. Ele prevê fazer promoções e segurar os preços.

A preocupação com os preços está presente até mesmo no setor mais sofisticado das joias. A diretora comercial da Manoel Bernardes, Andréa Bernardes, informou que a joalheria lançou um catálogo com joias a preços mais econômicos. A expectativa é de incremento de 5% nas vendas. “Desde dezembro, optamos por catálogos com peças a preços mais acessíveis, mas com qualidade e estilo, para atender a uma demanda por produtos mais econômicos”, revela. Os preços vão de R$ 700 a R$ 10 mil.

Coração nas joias – Para o Dia dos Namorados, a aposta é nas peças em formato de coração. As opções de presentes para os homens são relógios, joias masculinas e carteiras. “As joias contam histórias, têm grande valor agregado”, ressalta a diretora comercial. Andréa Bernardes acredita que a turbulência política desestabiliza o humor das pessoas, mas ela acha que não haverá interferência nas vendas. “Há um desapontamento geral. Mas as pessoas gostam de presentear e é uma data importante”, pondera.

Na loja de roupas masculinas Brooksfield, no Pátio Savassi, a expectativa é de aumento de 10% nas vendas. O principal produto para a data é a camisa polo, a R$ 219, conta a gerente Aline Araceli. Segundo ela, a loja ainda está sentindo os efeitos da crise econômica e, no mês passado, amargou queda de 30% nas vendas no comparativo com igual mês de 2016. “É uma data muito importante e esperamos recuperação”, admite.

Vitrine especial – E os lojistas estão trabalhando bastante para incrementar as vendas. A loja de roupas femininas Raro Efeito diversificou as formas de pagamento e montou vitrine para a data. Gerente da loja do Shopping Cidade, Flávia Martuchelli disse que os presentes do Dia dos Namorados costumam ser mais caros que os do Dia das Mães. A loja aposta nos casacos, com valor médio de R$ 200 a R$ 300.

Para o consumidor que vai manter a tradição, há a dupla flores e chocolates. Na loja de bombons artesanais Lalka, a expectativa é de vendas iguais ou melhores que em 2016. Segundo o proprietário, Roberto Marques Grochowski, o Dia dos Namorados é a quarta melhor data para a loja, atrás do Natal, Páscoa e Dia das Mães. Ele destaca a diversidade de produtos e os preços acessíveis como chamarizes da loja. Segundo Marques, o consumidor costuma gastar na loja entre R$ 50 e R$ 80. “Há caixas, cestas, corações de chocolates. Também montamos kits ao gosto do cliente”, informa.

Um pouco mais cautelosas estão as floriculturas. A Via das Flores, que tem loja física e site, não deve reforçar seus estoques. Segundo Glauber Gustavo da Paixão Fernandes, com o Dia dos Namorados, o movimento aumenta muito. Ainda assim, a expectativa é de que as vendas caiam em relação a 2016, pelo desemprego. O produto preferido são as rosas. A floricultura fará promoções e oferecerá kits com chocolates e bichos de pelúcia. O preço médio são R$ 150.

(fonte: Diário do Comércio)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *