2. Grupo Elo pretende dobrar receita até 2019

Grupo Elo pretende dobrar receita até 2019

Formado pelas empresas Elo Contact Center, Conecta e KTS, todas voltadas para serviços de relacionamento com clientes, o Grupo Elo acaba de anunciar um investimento de R$ 35 milhões em estratégias para dobrar o tamanho da receita até 2019, atingindo, por meio da disseminação dos serviços de relacionamento em vários segmentos, um faturamento de R$ 260 milhões. Para este ano, o faturamento estimado do grupo é de R$ 115 milhões.

De acordo com o presidente da organização, Altivo Oliveira, o montante será dividido em incentivos para desenvolver processos internos, ferramentas, pesquisa e inovação – e também novas contratações de pessoas com experiência em negócios digitais, abertura de novos sites especializados e aquisições de empresas.

Por ser importante para o negócio, em função da presença do acionista (o Grupo GA. Brasil, que é mineiro, e composto por mais de 10 empresas com o foco em transporte de passageiros, cargas, concessionárias automotivas e encomendas expressas) e de ter filial em Belo Horizonte, parte desse capital será aplicado em Minas Gerais. “Dentro do mapeamento efetuado para os investimentos em 2018 e 2019, buscar empresas com foco em novas tecnologias e processos inovadores de atendimento é prioridade. Nesse cenário, Minas se apresenta como excelente celeiro de startups e aceleradoras nessas áreas”, afirma o presidente do grupo.

Segundo Oliveira, apesar da instabilidade político-econômica, o Elo, que emprega 4 mil funcionários, atingiu o Plano de Metas para 2017. “Conseguimos crescimento de dois dígitos percentuais. Este resultado demonstra a capacidade de produção e eficiência nos processos da empresa”, diz. Ele antecipa as perspectivas para 2018 dizendo ainda que além da continuação da estratégia em abraçar a transformação digital internamente, o Grupo, com novas aquisições, contratações e expansão, tem expectativa de receita de R$ 141 milhões.

Plataformas multimídia – Na opinião do executivo, o contact center no Brasil caminha para a redução de canais de atendimento. “O contact center no Brasil já atravessa uma fase de redução no número de posições de atendimento, o que é uma tendência global do mercado, uma vez que o consumidor está aderindo ao atendimento por meio de canais como redes sociais, chatbots, aplicativos móveis e outros que não exigem uma interação por telefone com os operadores”, observa.

Ele acredita que um dos grandes desafios será a adaptação das empresas às novas exigências do consumidor digital. “Não falo apenas do atendimento em diversos canais digitais, que obviamente são extremamente importantes para essa transformação do mercado, mas da mudança da cultura e mentalidade das empresas para prover um atendimento contínuo, integrado, natural e de qualidade com todas as novidades da era digital”, avalia.

Para o biênio 2018/2019, o presidente informa que não planeja expansão para mercados internacionais. “O foco de atuação é no mercado nacional, com nossa metodologia e ferramentas digitais”, explica. No entanto, não estão descartadas alianças com empresas internacionais de soluções para Relacionamento com Cliente.

O Grupo Elo tem escritórios em Belo Horizonte, São Paulo e São Luís (MA) e atende clientes em todo o território nacional, como Claro, TIM e Net. Também presta serviços a empresas de outros setores, como redes de clínicas de saúde popular, órgãos públicos, construtoras e escritórios jurídicos. Foi fundado em 2012 e divide-se em três empresas – a Elo Contact Center, voltada a serviços de relacionamento; a Conecta, que oferece serviços de atendimento presencial e a KTS, que provê serviços especializados, diagnóstico estruturado e automações de processos. O grupo possui mais de 2 mil Posições de Atendimento (unidade de contato entre a empresa e seu cliente).

O Elo faz parte do Grupo GA. Brasil, um dos maiores grupos empresariais do País, com sede em BH, e faturamento apurado de R$ 500 milhões ao ano. O GA. Brasil também inclui as empresas Vipave, Transportes Cisnes, América do Sul Turismo, Viação Umuarama, Turi Transportes, Expresso Setelagoano, Princesa do Norte, Pássaro Verde Viagens, Pássaro Verde Express, Nativa Caminhões e Ônibus, Monarca Transportes, Expresso Valônia e Viação Pássaro Verde.

(fonte: Diário do Comércio)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *