pexels-photo-264554

Fecomércio: para 52%, desempenho está melhor

Os comerciantes de Belo Horizonte vêm sentindo uma melhora – ainda que lenta – nos resultados de vendas, segundo a Análise do Comércio Varejista (ACV) divulgada pela Federação do Comércio do Estado de Minas Gerais (Fecomércio-MG). De acordo com o levantamento, em abril deste ano, 52% do empresariado relataram desempenho nas vendas melhor ou igual no comparativo com março. No mesmo mês do ano anterior, o índice havia sido de 48,3%. Outro dado que revela recuperação no setor é que 78,1% dos entrevistados esperam vendas melhores em maio no comparativo com abril. No ano passado, esse índice havia ficado em 49,2%.

“Esse resultado mostra que a recuperação vem se mantendo. Ainda é um cenário de cautela, mas o comércio está conquistando melhores resultados que no ano passado”, ponderou a analista de pesquisa da Fecomércio-MG, Elisa Castro. A ACV-Maio 2017 aponta o desempenho do comércio no mês de abril e identifica a percepção dos empresários para maio.

Segundo Elisa Castro, os resultados do levantamento podem ser atribuídos à liberação do dinheiro das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e ao Dia das Mães, melhor data deste primeiro semestre para o comércio. “A inserção de renda com o FGTS tem favorecido o segmento do comércio varejista”, afirmou.
Segundo o levantamento, o segmento com melhor desempenho para abril foi o de combustíveis e lubrificantes (33,3%). O setor foi beneficiado pelos feriados de abril, que estimularam o consumo desses itens.

Em seguida estão tecido, vestuário e calçados, com 25,7%; supermercados, hipermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo, 23,3%; veículos e motocicletas, partes e peças, 22,5%; material de construção, 21,6%; artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos, 18,5%; equipamentos e materiais para escritório, informática e de comunicação, 17,6%; outros artigos de uso pessoal e doméstico, 10,7%; móveis e eletrodomésticos, 8%; livros, jornais, revistas e papelaria, 0%.

Quanto à expectativa para maio, o setor campeão foi o de móveis e eletrodomésticos, com 96%. Os outros setores com as melhores expectativas para maio são artigos de uso pessoal e doméstico, com 88,9%; e tecido, vestuário e calçados, com 84,5%.
A pesquisa apontou que 62,6% dos comerciantes têm intenção de fazer promoções em maio. Em abril, o índice foi 49,7%. De acordo com a Fecomércio, “a competição acirrada, que caracteriza o comércio varejista, tem exigido uma postura agressiva na definição da política de preços e promoções”.

Para 62,7% dos comerciantes de BH, a saúde do fluxo de caixa em abril foi melhor ou igual em relação ao mês anterior. Para 37,3%, o índice ficou pior.

Dois índices do levantamento mostram um empresariado ainda cauteloso: o dos investimentos em estoque e do número de empregados.

(fonte: Diário do Comércio)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *