escalator-stairs-metal-segments-architecture-54581

Equipes afiadas ajudam a vender mais e a conquistar o cliente em todas as épocas do ano

Quem esteve nos Estados Unidos no dia 29 de maio deste ano, em busca de um café produzido pela mais conhecida rede norteamericana do segmento teve dificuldade em conseguir. Isso porque a Starbucks fechou simultaneamente 8 mil de suas lojas durante uma tarde para treinar 175 mil funcionários após um caso grave de racismo que ocorreu em um estabelecimento da rede na Filadélfia. A estimativa é de que nas horas em que esteve de portas fechadas, a marca tenha deixado de vender cerca de US$ 16,7 milhões, além do enorme dano causado à imagem da companhia. Casos como esse mostram a importância do treinamento das equipes – especialmente na época do Natal, quando muitas lojas contam com vendedores temporários – e ainda que negligenciar essa etapa da gestão de pessoas pode causar sérios problemas às empresas, inclusive às gigantes com excelência em várias áreas. Para reduzir o risco, é preciso compreender que capacitação é um pilar básico para desenvolver a melhor solução de acordo com cada perfil, porte e capacidade da empresa.

Universidade interna

Com as mudanças na sociedade acontecendo cada vez mais rápido, contar com um plano contínuo de capacitação dos colaboradores contribui para manter o alinhamento entre a empresa e suas pessoas. É nisso que apostam a Pompéia e a Gang, que mantêm a Universidade Lins Ferrão para desenvolver os seus mais de 3 mil funcionários. Com a aquisição da Gang pela Pompéia, em 2013, e a formalização do Grupo Lins Ferrão, no início de 2018, ocorreu a união da Escola Gang com a Universidade Pompéia. Assim, deu origem à Universidade Lins Ferrão, que capacita em torno de 120 pessoas ao mês em treinamentos presenciais e a distância no ambiente virtual. Os cursos da Gang se apoiam em quatro pilares de capacitação: a Escola Institucional, Escola de Liderança, Escola de Moda e Escola de Vendas. Já para as equipes da Pompéia, a divisão é entre Escola de Vendas, Escola de Moda, Trainees e Desenvolvimento de Líderes. Além de capacitar os participantes, a universidade interna potencializa o crescimento e atinge todos os colaboradores de forma direta ou indireta.

Fábrica de líderes

Dentro de uma realidade bem mais modesta em termos de volume de colaboradores, mas com a mesma determinação de oferecer a melhor capacitação possível, a Ferragem Thony criou o programa Thony 360° para formação de lideranças. O modelo foi desenhado pela área de RH da empresa e aposta no compartilhamento de conhecimentos e da vivência integral da organização.

Por isso, são os líderes das áreas os responsáveis por repassar o que sabem aos aspirantes a líderes que são convidados a integrar o programa. Esse envolvimento direto dos gestores é proposital, pois faz com que, mais do que especialistas na sua área, cada um deles entenda – e repasse – a consciência de que cada setor impacta e é impactado pelos demais.

Com duração de 36 semanas, o programa inclui aulas expositivas, com dinâmicas e jogos, e vivências nas áreas. E para trazer ainda mais engajamento ao programa, é o próprio fundador da empresa – criada há 46 anos – que conta a história da Thony aos participantes, causando um forte impacto e resultando em um alto envolvimento. Criado a partir de uma iniciativa interna, com custo praticamente zero e muita motivação envolvida, o programa Thony 360° é um exemplo de como empresas de todos os tipos e tamanhos podem investir em treinamento e ter ótimos resultados.

Passo a passo para criar um treinamento

1 – Identifique as necessidades: observe quais os pontos fracos da loja, da equipe e até das pessoas. Isso pode ser feito por meio de cliente oculto, pesquisa de clima, pesquisa de satisfação com clientes ou até em reunião com a própria equipe.

2 – Trace os objetivos: enumere o que pode ser melhorado e crie indicadores para medir a eficácia do treinamento depois.

3 – Defina os públicos: identifique os perfis de pessoas que formam a sua organização, dividindo-as por área, por função ou por oportunidade. Dessa forma, é mais fácil desenhar formatos, linguagens e conteúdos específicos para cada carência.

4 – Reúna o conteúdo: tendo em mente cada necessidade e público, escolha os temas e conteúdos que serão trabalhados e os melhores formatos de acordo com cada objetivo pretendido. Ter metas claras para cada treinamento ajuda a construir um conteúdo eficaz.

5 – Programe as agendas: com o conteúdo criado levando em conta a disponibilidade dos participantes e dos ministrantes(que podem ser os especialistas da própria empresa), organize as agendas, o local, o material e convoque as pessoas para as quais o curso foi preparado.

6 – Mensure os resultados: tendo claros os objetivos de cada treinamento criado, coloque os indicadores à prova para verificar se cada melhoria pretendida foi alcançada. Se os resultados atingidos forem diferentes dos imaginados, é sinal de que algo precisa ser repensado: conteúdo, mecânica ou escolha dos participantes.

#ficaadica: Lojas que contratam trabalhadores temporários também precisam ter um treinamento muito bem estruturado, pois, para o consumidor, não importa o regime de contratação, o vendedor é o representante oficial da loja.

Confira essa e outras matérias na edição de novembro da revista Conexão Varejo. Clique aqui.

(fonte: Sindilojas POA – https://www.sindilojaspoa.com.br/imprensa/noticias/equipes-afiadas-ajudam-a-vender-mais-e-a-conquistar-o-cliente-em-todas-as-epocas-do-ano )

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *