pexels-photo-996329

Como inovar em um setor tão tradicional e continuar relevante dentro do segmento

O mercado de livros encolheu 21% no Brasil entre 2006 e 2017, segundo informações de um estudo recente realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Por outro lado, somente nos primeiros seis meses de 2018, foram vendidos mais de 24 milhões de livros, um crescimento de 5,24% em relação ao mesmo período do ano passado. Em faturamento, o volume cresceu ainda mais, registrando 9,97% de aumento.

Dados como esses mostram que o segmento de livrarias enfrenta um enorme desafio, que se torna ainda mais sério quando se soma a crise econômica ao baixo hábito de leitura dos brasileiros. Ainda assim, há livrarias que estão conseguindo se diferenciar por meio de inovações que surpreendem os consumidores e estão encabeçando os bons resultados apresentados pelo setor, independentemente do tamanho que o negócio tenha, como o Viveiro Cultural e a Livraria Taverna.

Aconchegantemente local

Situada no Centro Histórico de Porto Alegre, a Livraria Taverna nasceu como um e-commerce de livros com entregas de bicicleta dentro da cidade. Hoje, já soma quatro anos de história, sendo dois e meio com as portas abertas na Rua Fernando Machado. A loja sempre esteve nos planos dos sócios Ederson Lopes e André Günther e veio como uma oportunidade quando a participação em feiras de rua – que permitia um contato próximo com os consumidores – começou a diminuir.

No pequeno e aconchegante espaço da loja (que está sendo ampliado), o visitante encontra uma cuidadosa curadoria de 4 mil títulos nas áreas de artes, humanidades, literatura e publicações independentes – um dos grandes diferenciais. Além disso, a Taverna realiza eventos semanais, como lançamento de livros, sessões de autógrafo, workshops, saraus, entre outros, para atrair o público e tornar o espaço ainda mais familiar. Seções destinadas a poesia, autoria negra, feminismo e LGBT dividem espaço com cervejas e cachaças artesanais, vinhos e cafés, que abraçam o visitante e o convidam a permanecer, fazendo jus ao termo que dá nome ao lugar. Nos últimos meses, a Taverna se lançou também como editora, o que aumentou para 30% as vendas pelo site, e lança mais três novos títulos durante a Feira do Livro de Porto Alegre, que acontece este ano de 1º a 18 de novembro, na Praça da Alfândega.

Cultura para todos

Outro estabelecimento que inova no segmento é o Viveiro Cultural, localizado em Cachoeira do Sul, na região central do Estado. Por lá, a experiência ao visitante é o que comanda os trabalhos, e para isso, o local promove várias atividades culturais, especialmente para o público infantil, como contações de histórias, teatro e música. Por meio da iniciativa, o Viveiro atrai visitantes e ainda ajuda na formação de novas gerações de leitores. A história do negócio começou em 2004, com venda de livros online, mas logo surgiu a oportunidade de comprar uma pequena livraria que estava fechando, dando origem ao sonho dos sócios Rodrigo Keller, Daiane Keller e Carlos Rodrigues de criar um centro cultural na cidade. Em 2008, a loja ganhou vida, e em 2016, após completa reformulação (inclusive do nome, que passou a ser Viveiro Cultural), a comunidade ganhou um novo espaço de convivência e cultura. Inspirado nos centros culturais de grandes cidades, o Viveiro se adaptou ao município do interior e hoje conta com café, estúdio para aulas de música, espaço multiúso para eventos e estúdio de fotografia, que recebem em torno de 1,5 mil pessoas por mês e tornam o local um importante polo de cultura da região.

Gostou deste conteúdo? Ele faz parte da deste mês da revista Conexão Varejo, publicação mensal do Sindilojas Porto Alegre. Na versão digital você pode conferir gratuitamente a edição completa. Clique aqui e aproveite. Boa leitura!

(fonte: Sindilojas Poa)

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *