Comércio de BH alinha proposta de reabertura escalonada; veja como funcionaria

Diferentes sindicatos do setor de varejo e serviços de Belo Horizonte e região metropolitana se reuniram nesta quinta-feira (16), com a participação de representantes da prefeitura da capital, com o intuito de discutir uma proposta para o retorno escalonado do comércio. O plano de retomada, que inclui horários de abertura e fechamento diferenciados para cada seguimento, serão reunidos em um documento e apresentado ao prefeito Alexandre Kalil na próxima semana. As medidas valeriam também para as demais cidades da região.

“Fizemos hoje reunião semanal com os seis sindicatos da capital, que abrange todo o varejo, alimentos, peças, mais a Abrasel, de bares, restaurantes e lanchonetes. Tivemos uma conversa muito boa em que detalhamos a necessidade de um projeto de retomada do comércio. O grupo está discutindo a retomada com empresários do setor de ônibus e com a BHTrans. É importante que façamos um escalonamento dessa retomada de horários de trabalho. É isso que estamos trabalhando”, explicou o presidente do Sindicato dos Lojistas de BH (Sindilojas), Nadim Donato.

O plano ainda está sendo elaborado, mas já há uma perspectiva. Os setores de distribuição de alimento, como o Ceasa, abriram mais cedo, seguidos de lanchonetes, supermercados, padarias e drogarias. Posteriormente, se abririam as casas de construção civil e autopeças, seguido de estabelecimentos relacionados à serviços de veículos, como borracharias. O varejo, de maneira geral, abriria mais tarde e, por último, shoppings centers, bares e restaurantes. Quem abrir mais cedo, fecha mais cedo. Quem abrir mais tarde, fecha mais tarde.

(fonte: O Tempo https://www.otempo.com.br/cidades/comercio-de-bh-alinha-proposta-de-reabertura-escalonada-veja-como-funcionaria-1.2325718 )

Delivery e e-commerce “salvaram” a Páscoa

Às vésperas da data mais importante do ano para o setor – a Páscoa -, profissionais e empresas especializadas em produtos de chocolate viram o mundo desabar diante da pandemia desencadeada pelo novo coronavírus. Em março, a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab) previa um crescimento de 5% a 10% nas vendas em relação a 2019.

Há menos de dois meses, as empresas estavam investindo em novos produtos, na inovação de embalagens e no uso de personagens atrativos e atuais. Em 2019, foram produzidas cerca de 10 mil toneladas de chocolates para o período de Páscoa, incluindo ovos, figuras de páscoa e outros itens.

Todo esse otimismo foi por água abaixo – definitivamente – com a projeção da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgada semana passada. Considerada uma das datas mais rentáveis para o comércio no primeiro semestre, as vendas da Páscoa em 2020 devem registrar uma queda histórica de 31,6% em relação à Semana Santa de 2019, o que representaria uma perda de R$ 738 milhões. O balanço final ainda não foi divulgado pela CNC.

Criatividade – Empenho e criatividade, porém, fizeram parte da receita de muitos empreendedores para reverter, pelo menos, parte do prejuízo. Vendas on-line e delivery foram os canais principais de uma verdadeira revolução que muitos tiveram que enfrentar.

E as redes sociais o principal canal de comunicação com os clientes para garantir um doce domingo para quem está em isolamento social e para o caixa das empresas.

No bairro Mangabeiras, na região Centro-Sul, a confeitaria Fofíssimo Bolos viu o salão vazio. Atendendo apenas para entregas, o período da Páscoa se tornou uma incógnita. De acordo com a sócia da Fofíssimo, Juliana Nunes, a solução foi partir para as vendas on-line.

Para garantir a integridade dos delicados produtos, ela contratou um motoboy de confiança e não aderiu aos aplicativos de entrega por conta das taxas que podem chegar a 30% do valor de cada produto, segundo ela.

“Ano passado, não fizemos vendas on-line, então foi tudo muito novo para mim. Linkamos no nosso Instagram o número do WhatsApp e começamos a receber as encomendas por esse canal. Concentramos nossos esforços no bairro Mangabeiras e fechamos a loja de Lourdes porque não havia segurança nas ruas para trabalhar lá. Dessa forma não precisamos demitir nem contratar ninguém específico por causa das entregas na equipe direta. Tínhamos planejado a abertura de uma loja temporária em um shopping center da região, como fizemos em 2019, mas a ideia foi abortada”, explica Juliana Nunes.

A estratégia adotada foi se mostrar presente na vida dos clientes e que o chocolate não é apenas uma guloseima, mas uma forma de demonstrar carinho e presença em época de isolamento social. Todas essas dificuldades mostraram à empresária a necessidade de investir nos canais on-line.

Além disso, os próprios clientes foram indicando caminhos que poderiam ser utilizados para enfrentar a crise e, pelo menos, não ter uma regressão em relação aos resultados do ano passado.

“Vamos finalizar o site, que estava em construção, e vamos reforçar nosso trabalho na internet. Sabíamos do crescimento do e-commerce em todos os segmentos, mas agora decidimos que precisamos acelerar nesse sentido. E outras possibilidades foram surgindo. Muita gente fez a encomenda on-line e veio buscar em uma espécie de drive thru. Como temos um estacionamento grande, elas só ligavam e informavam a placa do carro. Chegando aqui, era só abrir o porta-malas, já que o comprovante de pagamento já havia sido enviado”, relembra a sócia da Fofíssimo Bolos.

Há dois anos com o ateliê de chocolates aberto formalmente e há 20 anos no segmento de chocolates, a microempreendedora individual Renata Bernardi, fundadora LaDola Doceria, também viu o rumo dos negócios mudarem com a chegada do Covid-19.

“A primeira semana foi um susto muito grande, inclusive com cancelamento de pedidos. Depois o jeito foi observar como os colegas estavam vivendo a crise e escolher uma forma de agir. Resolvemos que a nossa Páscoa seria agora. Quase toda minha venda foi para delivery e consegui repetir o resultado do ano passado, o que foi uma grande vitória. A expectativa era crescer 30%, mas conseguir empatar foi um grande resultado”, comemora Renata Bernardi.

Um dos grandes desafios enfrentados foi a questão das embalagens, a delicadeza dos ovos de Páscoa exigia algo especial e não havia tempo para o desenvolvimento. A saída foi a própria artesã fazer as entregas. Sem site, os canais de venda também foram o Instagram e o WhatsApp. E, surpreendentemente, foi possível, até, conquistar novos clientes.

“A estética tem uma grande importância para o chocolate artesanal e eu não tinha embalagens adequadas. Então eu mesma fiz as entregas, o que me levou a até rejeitar algumas encomendas por falta de tempo. Não deixei que o isolamento me separasse dos meus clientes e propus que eles não deixassem que isso acontecesse entre eles e seus amigos e parentes. Recebi até encomendas de outras cidades e estados para fazer entregas aqui em Belo Horizonte. Foi uma forma que as pessoas acharam para se fazer presentes. Poder participar disso foi muito gratificante”, completa a empresária.

(fonte: https://diariodocomercio.com.br/negocios/delivery-e-e-commerce-salvaram-a-pascoa/ )

Compras online crescem 18,5%; produtos de Páscoa têm alta de 322%

As vendas online cresceram 18,5% na semana 31 de março a 6 de abril, na comparação com a semana anterior. O que impulsionou a alta no geral foram produtos como eletrodomésticos e eletrônicos. No entanto, as vendas de Páscoa também chamaram a atenção.

Os pedidos da data comemorativa aumentaram 322% entre os dias 29 de março a 6 de abril de 2020, em relação ao período de 7 a 20 de abril de 2019.

Somente vendas de ovos de Páscoa via internet tiveram alta de 360% sobre o ano passado, os chocolates, em geral, apresentaram crescimento de 299%.

O tíquete médio de ovos foi 55% maior neste ano.

Os dados são da EbitNielsen e, segundo a análise, os itens de giro rápido como alimentos, bebidas, produtos de higiene pessoal e medicamentos (FMCG na sigla em inglês) estão mantendo boa performance. Isso se deve à adaptação do consumo em tempos de restrições impostas para o controle da covid-19 no Brasil.

“O e-commerce tornou-se um facilitador da situação imposta pela covid-19, a medida que os consumidores adaptam suas atividades diárias para dentro dos seus lares e, consequentemente, aumentam a demanda por serviços online”, diz o diretor de Atendimento ao Varejo e E-commerce da Nielsen Brasil, Roberto Butragueño.

O levantamento também destacou a expansão nas compras de itens da área de Educação à Distância nas primeiras semanas de isolamento social.

O volume de vendas de Apostilas de Cursos e Concursos cresceu 648%, seguido por Cursos e Educação (+414%) e os módulos de Musculação e Ginástica online (+ 262%). A comparação foi feita entre 17 a 23 de março ante 10 de março a 16 de março.

(fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/economia/2020/04/14/internas_economia,1138461/compras-online-crescem-18-5-produtos-de-pascoa-tem-alta-de-322.shtml )

Suspensão de contrato de trabalho e/ou Redução de Salário e Jornada – Medida Provisória 936

Orientações para as empresas que celebraram acordos individuais para suspensão de contrato de trabalho e/ou redução de salário e jornada:

As empresas devem:

– Enviar um comunicado para o Sindicato dos Empregados no Comércio de Belo Horizonte e Região – SEC, informando os nomes dos empregados que assinaram os acordos, CPF, período de suspensão dos contratos e/ou percentual de redução de salários.
– O comunicado deve ser enviado para o SEC no prazo de 10 dias corridos após a assinatura do acordo.
– O comunicado pode deve enviado para o e-mail do Sindicato dos Empregados no Comércio de Belo Horizonte e Região: secbhrm@secbhrm.org.br
– Não é necessário assinar nenhum documento junto ao Sindicato de Empregados. O acordo é celebrado apenas entre a empresa e o seu empregado.
– Não é necessário enviar cópias dos acordos individuais. Apenas comunicar o SEC BH com as informações acima.
– No site do SINDILOJAS BH constam modelos dessa comunicação e dos acordos individuais.
– As empresas devem comunicar o Ministério da Economia no prazo de 10 dias após a assinatura do acordo indivual.

17 ferramentas grátis para você e sua empresa enfrentarem a pandemia

Em tempos de pandemia várias limitações e restrições quanto à locomoção são impostas para preservar a sua saúde, a de sua família bem como a dos seus colaboradores. Nesta hora devemos pensar em formas remotas de fomentar o negócio, tanto em sua gestão quanto em tratativas com fornecedores, clientes e colaboradores. 

No momento da redação deste artigo, no Brasil já estão oficializados 2,5 mil casos em razão do COVID-19, segundo as Secretarias Estaduais de Saúde. E o índice Ibovespa teve forte alta em razão, principalmente, do pacote anti-coronavírus anunciado nos EUA. Apesar disto, o índice ainda continua bem aquém do período pré-pandemia, ainda não se recuperando da drástica baixa que teve nos últimos dias. 

despeito das análises pessimistas ou otimistas dos especialistas, a realidade tem sido mais veloz, dura e concreta do que quaisquer expectativas e previsões econômicas. E o fato é que os empreendedores estão vendo seus clientes desaparecerem, as vendas declinarem, os recursos minguarem e os trabalhadores estão perdendo seus empregos.  

Mas, na certeza que a informação é uma das principais armas que temos para superarmos essa crise, o Sebrae entrou em contato com o especialista em tecnologia Tony Ventura para nos ajudar a fazer uma lista das principais ferramentas capazes de apoiar os empreendedores brasileiros, suas equipes de colaboradores, familiares e amigos em tempos de pandemia. 

Então, vamos lá! A lista: 

  1. Zoomferramenta gratuita de videoconferência, ideal para reuniões on-line, bate-papo e colaboração para equipes de trabalho cujos colaboradores se encontram geograficamente dispersos. Também ideal para escolas de ensino fundamental e médio e cujos professores queiram interagir com seu alunos remotamente. Caso queira gravar um podcast entrevistando alguém a distância, o Zoom é a melhor ferramenta para isso pois captura o áudio parecendo que a pessoa está gravando do seu lado. 
  2. Skypeé também uma ferramenta de comunicação via voz, vídeo e texto. Agora o Skype finalmente colocou a disposição a funcionalidade de tradução simultânea. Na teoria, você pode conversar com pessoas de outros países sem você saber falar a língua da pessoa. O Skype traduz por áudio quase que em tempo real e gratuitamente.
  3. Googleacabou de ser liberada a versão premium gratuita a ferramenta de bate-papo por vídeo, o Hangouts Meet. Segundo anúncio da Google essa liberação vai valer até julho, para ajudar empresas e escolas a trabalharem remotamente devido ao Coronavírus. É possível incluir até 250 participantes por chamada, transmissão ao vivo para até 100.000 espectadores e a facilidade de gravar reuniões e salvá-las no Google Drive.
  1. Slackideal para para organizar o trabalho de equipe. Com o Slack, você e sua equipe podem ter acesso a salas de bate-papo organizadas por temas, grupos privados e mensagens diretas. E todo o conteúdo postado ao longo das reuniões, conversas via chat ou publicações de arquivos de trabalho são pesquisáveis no Slack. Os usuários podem adicionar botões emoji às mensagens e, nas quais, outros usuários podem clicar para expressar suas reações. O Slack é uma das principais ferramentas utilizadas atualmente para integrar a comunicação entre os integrantes de uma equipe ou projeto! Mas fique atento, o plano gratuito do Slack permite que apenas as 10.000 mensagens mais recentes sejam visualizadas e pesquisadas.
  2. DropBoxassinaturas gratuitas do DropBox Business e HelloSign Enterprise por um período de três meses para organizações sem fins lucrativos e ONG focadas no combate ao COVID-19. As empresas que trabalham para conter o vírus ou dar alívio e conforto às pessoas afetadas são incentivadas a se inscrever. 
  3. Boxplataforma segura e gratuita para compartilhar arquivos por 3 meses. A oferta é para o plano de empresarial e inclui armazenamento ilimitado, acesso também via app para celulares e com a disponibilização de funcionalidade para usuários avançados e com controles de segurança. 
  4. Linkedin10 cursos gratuitos que pode capacitar você e sua equipe sobre como organizar sua rotina de trabalho bem como delegar tarefas para os colaboradores de forma remota. Você poderá desenvolver novas habilidades para melhorar sua produtividade e manter a perseverança em tempos de crise como a que estamos enfrentando agora. 
  5. Panaptosabe aquelas gravações de vídeos das suas reuniões com a equipe de trabalho e que depois precisam ser vistas outros colegas que talvez não puderam participar? Ou aquele vídeo instrucional que precisa ser visto pelos seus alunos ou equipe de trabalho? A Panapto está dando acesso gratuito por três meses para capturar e distribuir conteúdo de vídeo para empresas, universidades, faculdades e escolas. Isso permitirá que sua equipe ou alunos continuem aprendendo e trabalhando remotamente. 
  6. Avidlicenças temporárias e gratuitas de ferramentas criativas para empresas e alunos que desenvolvem edição não-linear de imagens, sons, caracteres gráficos e vídeos. Uma ferramenta bem especialista e profissional. De 16 de março a 17 de abril, os usuários que precisam trabalhar remotamente porque suas instalações foram fechadas, podem obter licenças de 90 dias gratuitamente para o Media Composer, Ultimate, Pro Tools, Pro Tools, Ultimate e Sibelius. 
  7. Adobeo acesso gratuito aos aplicativos da Creative Cloud estão disponíveis mediante solicitação de alunos e professores até 31 de maio. A Adobe também oferecerá acesso gratuito por 90 dias ao Adobe Connect para conferência na web até 1º de julho. 
  8. MailChimpvocê lidera uma empresa sem fins lucrativos e precisa intensificar sua comunicação, p.ex., por meio de uma mala com informações relevantes que busquem orientar a população ou parceiros a enfrentarem melhor essa pandemia? A Mailchimp está oferecendo contas Standard gratuitas para grupos elegíveis que precisam enviar informações críticas de saúde pública sobre o COVID-19. Segundo a MailChimp, essa abertura vai valer até 30 de junho de 2020. 
  9. SurveyMonkeyacesse modelos de questionário gratuitos elaborados pelos profissionais da SurveyMonkey, que são especialistas em pesquisas e coleta de dados. Você quer, p.ex., o feedback da sua equipe, parceiros ou clientes ou grupos mais amplos afetados pelo coronavírus? O plano Basic da SurveyMonkey, que é sempre gratuito, pode ajudar você e sua empresa de desenvolver essa tarefa de forma mais profissional. 
  10. Salesforceacesso gratuito à tecnologia para equipes de resposta a emergências, call centers e equipes de gerenciamento de atendimento de sistemas de saúde afetados por coronavírus. 
  11. IFTTTpossibilita criar, de forma grátis, atalhos inteligentes para deixar seu trabalho mais produtivo. Por exemplo: adicionei um atalho para receber uma ligação 5 minutos antes de iniciar uma reunião que está agendada no meu celular. São centenas de atalhos pré-prontos que começam a funcionar com apenas 1 clique. Basta usar sua criatividade para tornar seu trabalho muito mais produtivo. 
  12. Bit.lyencurtador de links para deixar memorável links muito grandes. Troque um endereço de internet imenso por uma palavra que vc consegue decorar e falar pra outras pessoas. Suas tarefas ficarão muito mais ágeis trabalhando em casa com essa ferramenta. 
  13. TelegramNão é apenas o concorrente do Manychat. Você também consegue disponibilizar arquivos em um grupos de telegram (grupos de até 20.000 pessoas) e as pessoas, que vão entrando no grupo ao longo dos meses, tem acesso aos arquivos que você já enviou. É quase um website. Você pode enviar presentes para seus seguidores e deixar lá no grupo. Toda vez que alguém entrar, estará lá disponível para ser baixado. Grátis e poderoso! 
  14. Reaction Camcrie seus cursos on-line direto do seu celular. Esse app tem a versão gratuita e a de custo único de R$3,90 que permite você narrar vídeos já gravados no seu celular. Funciona assim. Grave a tela do seu celular explicando alguma coisa e depois use o reaction cam para gravar com seu rosto no cantinho do vídeo explicando o vídeo pré gravado.

    (fonte: Sebrae – https://bit.ly/ferramentasgratispandemia )

 

Governo prorroga validade de certidões negativas de débito já emitidas por 90 dias

A Secretaria da Receita Federal do Brasil e a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional informaram nesta terça-feira (24) a prorrogação por 90 dias do prazo de validade das certidões negativas de débitos (CND) e das certidões positivas com efeitos de negativas (CNEND), ambas relativas à créditos tributários federais e à dívida ativa da União.

As medidas, que valem apenas para as certidões conjuntas que já foram expedidas e ainda estão no período de validade, visam minimizar os efeitos decorrentes da crise da pandemia de coronavírus sobre a economia. A decisão foi regulamentada por meio de portaria, publicada no “Diário Oficial da União”.

A CND é emitida quando não há pendências relativas a débitos, dados cadastrais e apresentação de declarações administrados pela Receita Federal, ou inscrição na dívida ativa da União.

Já a CPEND, segundo a área econômica, é emitida quando existe uma pendência, porém com seus efeitos suspensos (por exemplo, em virtude de decisão judicial). As duas certidões são necessárias para que as pessoas jurídicas exerçam uma série de atividades, como participar de licitações ou obter financiamentos.

(fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/03/24/governo-prorroga-validade-de-certidoes-negativas-de-debito-ja-emitidas.ghtml )

Participe da Convenção Coletiva de Trabalho 2020 – O momento agora é de União

A CCT – Convenção Coletiva de Trabalho são as “regras” que mantém o equilíbrio das relações trabalhistas e a defesa dos interesses do comércio lojista.

 A legislação trabalhista prevê uma série de direitos e deveres na relação entre empresa e colaborador e entre elas está a possibilidade de adaptar as regras através de negociações com sindicatos acordados através da CCT.

A Convenção é de suma importância para o equilíbrio das relações trabalhistas e da defesa dos interesses do comércio lojista e dos colaboradores,  a fim de assegurar o desenvolvimento e o fortalecimento do comércio de Belo Horizonte e da região metropolitana.

Principalmente em relação ao cenário pelo o qual passamos, em virtude do COVID-19, o momento agora é de união. Precisamos ter coerência nas nossas decisões, pois estamos todos interligados, ou seja, é impossível vencer os desafios, que nos são comuns, sozinhos. Precisamos juntos fortalecer o mercado.

Veja mais sobre a Convenção e o aditivo sobre o fechamento do comércio, para o enfrentamento do COVID-19 

ESTÁ NA HORA DE USAR MAIS OS SEUS DIREITOS E BENEFÍCIOS, NÃO ACHA?

 A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) abrange a categoria profissional dos Empregados no Comércio nas empresas do comércio lojista de Belo Horizonte.

E para se beneficiar das condições previstas na Convenção Coletiva de Trabalho, celebrada entre o SINDILOJAS/BH e o SEC/BH, basta estar em dia com a taxa da Convenção Coletiva 2020. Simples assim!

Garanta já o desenvolvimento do comércio, dos seus direitos e benefícios. 

Você tem até 31/03! 

 CONFIRA ALGUMAS DAS CONQUISTAS DO SINDILOJAS-BH

A FAVOR DO COMÉRCIO LOJISTA:

Este ano o Sindilojas-BH obteve várias conquistas para os lojistas de Belo Horizonte e região e conta com a sua participação, para continuar a lutando e defendendo o desenvolvimento do comércio de Belo Horizonte e Região.

 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO – 2020
Mais moderna e repleta de conquistas pra você.

 Feriados Autorizados – ampliação do número de feriados autorizados ao trabalho, incluindo a Sexta-feira Santa. Assim, a autorização para a utilização do trabalho dos empregados, abrange os feriados dos dias: 10.04.2020, 21.04.2020, 11.06.2020, 15.08.2020, 07.09.2020, 12.10.2020, 02.11.2020, 15.11.2020 e 08.12.2020.

 Aviso Gestante – inclusão de cláusula relativa à empregada que for demitida sem justa causa, caso esteja grávida. A empregada deverá obrigatoriamente informar à empresa sua condição de gestante, em até 60 (sessenta) dias, após a data do recebimento do aviso prévio, sob pena de decadência da garantia da estabilidade, prevista em lei, e perda da sua garantia de emprego e do direito à reintegração ou indenização equivalente.

Exames admissionais e demissionais – recomendação para que exames admissionais e demissionais sejam realizados através do Sindicato de Empregados no Comércio de Belo Horizonte e Região Metropolitana.

Cláusulas Econômicas:

  • Reajuste geral em 4,5% proporcional à data de admissão do empregado de março de 2019 a fevereiro de 2020.
  • Piso Vendedores/ Balconistas: R$ 1.212,20.
  • Piso copeiro, faxineiro, servente, empacotador, entregador, vigia e demais empregados: R$ 1.170,40
  • Garantia mínima do comissionista: R$ 1.227,87
  • Quebra de caixa: R$ 133,60 (Função exclusiva caixa).
  • Prêmio comissionista puro: R$ 170,96
  • Prêmio comissionista misto: R$ 85,48.

OBSERVAÇÃO: o reajuste dos salários superiores a R$ 6.000,00, será objeto de negociação direta entre empresa e seu empregado.

Essas são apenas algumas das conquistas da Convenção Coletiva de Trabalho – 2020. Saiba mais 

 Participe da convenção coletiva de trabalho 2020 e garanta o desenvolvimento do comércio, dos seus direitos e benefícios! Você tem até 31/03! 

Veja também:

Conheça as soluções que o Sindilojas-BH oferece para a sua empresa, você e sua família.